Sobre o Repositório

O Repositório de Marcas de Proveniência integra, juntamente com o Aplicativo de Reconhecimento de Marcas de Proveniência, um Sistema de Armazenamento e Reconhecimento de Marcas de Proveniência.

Por meio do Repositório, colaboradores de diferentes instituições poderão fazer upload de imagens de diferentes marcas, bem como consultar e colher metadados de registros fotográficos de marcas disponíveis no catálogo.

Para o desenvolvimento do Repositório, optou-se pelo uso do software livre Omeka S, tendo em vista que o mesmo possibilita a gestão de coleções imagéticas digitais de forma simples e organizada.

O Omeka S integra a família Omeka, e foi desenvolvido pelo Roy Rosenzweig Center for History and New Media (Centro de História e Novas Mídias Rony Rosenzweig), da Universidade George Mason, Fairfax, Virginia, Estados Unidos (GEORGE MANSON UNIVERSITY, 2020).

O software é uma das opções disponíveis ao setor de coleções conhecido como GLAM (acrônimo de Galleries, Libraries, Archives, and Museums, em português: Galerias, Bibliotecas, Arquivos e Museus), definidos como organizações culturais que tem por missão fornecer acesso à arte, à cultura e ao conhecimento.

GLAMs coletam e mantêm materiais de patrimônio cultural de interesse público. Como instituições de coleta, as GLAMs preservam e tornam as fontes primárias acessíveis aos pesquisadores. (GLAM, 2020).

Levando em consideração o crescimento dos estudos voltados à pesquisa de proveniência no Brasil, no âmbito da Biblioteconomia, nos últimos anos, bem como a ausência de um catálogo voltado ao registro e disponibilização de informações relativas à proveniência dos acervos depositados nas bibliotecas brasileiras, tais como nomes de proprietários e registros fotográficos de marcas de proveniência, apresentamos a proposta de criação deste Repositório.

O Repositório encontra-se em fase de implementação; pretende-se disponibilizar ao público até dezembro de 2020.