Retrospectiva 2021… e o desejo de um 2022 incrível!

Final de ano chegando, momento de refletir sobre o que passou, de rever as metas propostas no início do ano e de planejar o futuro.

2021 foi um ano de desafios, tanto por conta da pandemia de Covid-19, que não acabou, como também pelas adversidades nos campos político, econômico, social e cultural pelas quais vem passando nosso país. Somem-se a isso pequenos percalços e dificuldades que ocorrem no caminho de qualquer pesquisador, tais como problemas técnicos (manutenção de servidor, falhas na Internet etc.) e humanos… Passamos por situações embaraçosas, decorrentes da má conduta de pesquisadores da área: provocações em lives e eventos on-line; comentários difamatórios e sem fundamento sobre o nosso trabalho em redes sociais; não recebimento de links para participação em eventos da área, nos quais alguns de nossos pesquisadores estavam inscritos; a eliminação de comentários realizados por nosso pesquisadores e/ou bolsistas em chats de eventos on-line e redes sociais; a tentativa de apagamento das nossas ações, como quando recebermos a notícia, por e-mail, de que o site Proveniência Bibliográfica estava sendo retirado da lista de recursos on-line do Consortium of European Research Libraries – CERL, sob a alegação de que seria “prematuro listá-lo entre os outros recursos atualmente disponíveis para pesquisa de proveniência”.

Apesar dos contratempos, no balanço dos fatos, chegamos ao final desse ano com mais coisas a agradecer do que a lamentar. Buscamos realizar o nosso trabalho de forma honesta, ética, com os pés-no-chão e sem inflar os nossos egos. O reconhecimento de nosso trabalho é uma consequência, e esta sempre chega no momento certo. Enquanto grupo de pesquisa, estamos nos fortalecendo, ganhando experiência, ampliando o leque de nossas ações, aprendendo com as adversidades.

Elaboramos uma retrospectiva das principais ações realizadas pelo GEPIM no ano de 2021 e iremos apresentá-la aqui.

1) Publicamos o “Glossário Ilustrado de Marcas de Proveniência”, organizado e compilado pelas pesquisadoras Marcia Carvalho Rodrigues, Alissa Esperon Vian, Mariana Briese da Silva e Luise de Oliveira Rodrigues, sob a coordenação da primeira. O Glossário, inédito no Brasil, traz uma lista de termos (descritores e não descritores) que constituem o jargão específico da área da Proveniência no contexto da História do Livro, focalizando, especialmente, as evidências internas de proveniência, ou seja, diferentes tipos de marcas. Além dos descritores, o Glossário apresenta as suas definições, relações com outros termos, ilustrações que exemplificam as definições dadas e os seus equivalentes nos idiomas inglês, francês e espanhol. Por meio da Figura 1, é possível observar a estrutura de um descritor.

Figura 1 – Estrutura do descritor “Anotação”

2) Sob a curadoria de três bibliotecárias: Alissa Esperon Vian (pesquisadora do GEPIM-FURG), Juccia Nathiele (autora do @vidadebibliotecario) e Mary Komatsu (autora do canal @cacadora_de_exlibris) foi lançada, em março, a exposição virtual “Ex-líbris: olhares mas bibliotecas”.

3) Publicamos o e-book “Marcas de proveniência bibliográficas: um estudo sobre os ex-líbris” (Alissa Esperon Vian e Marcia Carvalho Rodrigues) e os artigos “Desenvolvimento de um sistema de armazenamento e reconhecimento de marcas de proveniência em acervos bibliográficos” (Marcia Carvalho Rodrigues, Alissa Esperon Vian, Heytor Diniz Teixeira, Eduardo Nunes Borges e Mateus Alves Prado), na revista portuguesa Páginas a&b; “Ex-líbris: um novo momento de apreciação” (Marcia Carvalho Rodrigues/GEPIM-FURG e Raphael Diego Greenhalgh/UnB), na revista Biblioo.

3) Participamos de lives no canal da Caçadora de Ex-líbris: Bate papo sobre o livro “Marcas de proveniência bibliográficas: um estudo sobre os ex-líbris” (Alissa Esperon Vian e Marcia Carvalho Rodrigues); Live de lançamento da exposição virtual “Ex-libris: olhares na biblioteca” (Alissa Esperon Vian/GEPIM-FURG, Juccia Nathiele e Mary Komatsu); Marcas de proveniência no acervo raro da Biblioteca Rio-Grandense: estudo sobre os ex-libris presentes nos livros publicados entre os séculos XVI, XVII e XVIII (Alissa Esperon Vian); Glossário Ilustrado de Marcas de Proveniência: trajetória e desafios (Marcia Carvalho Rodrigues, Alissa Esperon Vian, Mariana Briese da Silva e Luise de Oliveira Rodrigues).

4) Apresentamos trabalhos em eventos científicos da área: XIV Encontro Nacional de Acervo Raro (“O contexto regional como critério balizador de raridade bibliográfica”, apresentado por  Naillê de Moraes Garcia); XX Mostra da Produção Universitária da FURG (“Sistema de Armazenamento e Reconhecimento de Marcas de Proveniência”, apresentado por Mateus Alves Prado; “Glossário ilustrado de marcas de proveniência: uma necessidade emergente”, apresentado por Alissa Esperon Vian; “Glossário ilustrado: apresentando marcas de proveniência”, apresentado por Luise de Oliveira Rodrigues; “Marcas de propriedade: um estudo sobre os ex-líbris”, apresentado por Alissa Esperon Vian).

5) Participamos de eventos científicos da área, na qualidade de palestrantes: Semana Universitária da UNB: “Acervos raros e as universidades: possibilidades de ensino, pesquisa e extensão” (Marcia Carvalho Rodrigues); I Simpósio Gaúcho de Bibliotecas Públicas: “Critérios de identificação de obras raras” (Marcia Carvalho Rodrigues).

Somos muito gratos pelo ano de 2021, pelos aprendizados, parcerias, amizades e incentivos.

Desejamos um excelente final de ano a todos, com muitas alegrias junto a seus familiares e entes queridos.

Que em 2022 tenhamos muita saúde, paz, empatia e respeito uns pelos outros!

Glossário de Marcas de Proveniência

Os estudos de proveniência, no âmbito da Biblioteconomia, são relativamente recentes no Brasil. Geralmente associados a coleções especiais de obras raras, tais pesquisas envolvem, entre outras questões, a identificação e descrição de marcas ou indícios deixados nos livros por pessoas e/ou instituições que tiveram contato com o mesmo ao longo de sua história, tais como antigos proprietários, leitores, censores, bibliotecas e comerciantes. Desta forma, as marcas deixadas em um livro impresso ou manuscrito podem ter sido produzidas por diferentes pessoas, em diferentes contextos e circunstâncias, para cumprir diferentes propósitos.

Tendo em vista a ampla variedade de tipos de marcas de proveniência, bem como a escassez de recursos em língua portuguesa sobre o tema, propôs-se a elaboração de um glossário de tipos de marcas de proveniência, enriquecido com ilustrações.

O Glossário Ilustrado de Marcas de Proveniência foi organizado e compilado pelas pesquisadoras Marcia Carvalho Rodrigues, Alissa Esperon Vian, Mariana Briese da Silva e Luise de Oliveira Rodrigues, sob a coordenação da primeira. O projeto integra um conjunto de pesquisas sobre o tema da proveniência no âmbito da Biblioteconomia, as quais vem sendo realizadas desde 2019 pelo Grupo de Estudos e Pesquisas em informação e Memória – GEPIM, da Universidade Federal do Rio Grande (FURG).

A fase 1 da proposta, desenvolvida entre os meses de janeiro e junho de 2021, teve como metas identificar as fontes, selecionar os termos (corpus inicial) e dar início à criação dos registros.

A fase 2, que ocorre de julho de 2021 até agosto de 2022, tem como metas finalizar o registro dos dados, tornar o Glossário público (disponível para consulta na Internet) e ampliar o corpus inicial.

As duas primeiras metas da fase 2 foram concluídas e, em 22 de outubro de 2021, o Glossário foi disponibilizado ao público. A partir dessa data, o grupo prossegue trabalhando na ampliação do corpus inicial.

Para a construção do Glossário, utilizou-se o o software Tesauro Semântico Aplicado – THESA, de acesso aberto.

Clique aqui para conhecer e consultar o Glossário Ilustrado de Marcas de Proveniência.